A importância do plano de negócio para a sua empresa

A importância do plano de negócio para a sua empresa

Você decidiu abrir uma empresa. Tem a ideia, o capital, o produto… Mas será que isso é o suficiente? Segundo o relatório divulgado em 2018 pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), uma entre quatro empresas fecha antes de completar dois anos. Os números preocupam, mas não devem ser um empecilho para a abertura de novos negócios.

Para evitar que você vire estatística, existem algumas ferramentas que auxiliam o empreendedor. Uma das mais importantes é o plano de negócio (ou business plan) da empresa. Esse documento é responsável por documentar o planejamento e a estratégia da empresa, auxiliando na estruturação do negócio ao mesmo tempo em que o prepara para o futuro.

Iremos explicar melhor o plano de negócios. Além disso, abordaremos os aspectos positivos e negativos dele e, por fim, quais os custos que estão previstos nesse plano. Acompanhe!

O que é um plano de negócio

O plano de negócio é um documento que visa o planejamento da empresa. Nele, são inseridos os principais aspectos, desde a forma como o negócio quer ser visto pelos outros até os planos para longo prazo.

Um dos pontos mais importantes de um plano de negócio é a viabilidade do seu produto no mercado. Dito em outras palavras, esse documento observa, de diferentes perspectivas, quais são os seus pontos fortes e fracos em relação aos concorrentes e consumidores.

Esse documento deve conter números reais. As projeções, bem como as expectativas, devem ser pensadas de uma forma realista.

Muitos empreendedores falham ao produzir um plano de negócio que não concebe a realidade. Por isso, é essencial pesquisar muito e conhecer o mercado para iniciar o seu planejamento.

E quais são as áreas essenciais que o plano de negócio deve cobrir?

Planejando um plano de negócio

O modelo de um plano de negócio não é fixo. Ou seja, existem muitas opções disponíveis. Cada uma busca atender as necessidades específicas de diferentes tipos de negócios. No entanto, alguns pontos são essenciais. Confira quais são eles!

Resumo Executivo

O Resumo, ou sumário executivo, é a primeira parte do seu plano. Nele, você insere um resumo dos principais pontos da sua empresa, abordando de forma clara e sucinta o seu negócio. Deve-se falar sobre a localização, o investimento, as projeções, enfim, todos os pontos essenciais. Um detalhe que deve ser explicado nesse momento é o regime tributário adotado.

Ele serve como um guia para o negócio, pois pode ser rapidamente acessado. Além disso, é uma visão completa da empresa, facilitando o entendimento dos negócios pelos investidores. Mesmo sendo a primeira parte do plano de negócio, o resumo é o último a ser produzido.

Missão e Visão

Em muitos planos, essa parte está inserida já no resumo. A Missão e Visão da empresa são essenciais. Elas são guias, pois determinam quais será o futuro e como chegará nesse ponto.

É essencial que elas sejam definidas de forma realista, observando as limitações do mercado e considerando as projeções de crescimento. Além disso, essa é uma parte que não deve ser alterada, pois é a concepção da empresa. Mudanças devem ser realizadas apenas em casos muito específicos.

Análise de mercado

Para entender quais as potencialidades do negócio, deve-se compreender quem são seus concorrentes e quem são seus clientes:

  • Entenda seu público: toda empresa tem um cliente, alguém para quem vende. Entender a fundo essa pessoa é essencial para o sucesso do negócio;
  • Conheça seus concorrentes: quais são os diferenciais deles? E os seus em comparação a eles? Deve-se realizar essa análise para determinar como ser único, diferente, e não para copiar as práticas realizadas pelo outros negócios.

Plano de Marketing

Mais do que pensar qual será a estratégia de divulgação que a empresa adotará, o plano de marketing prevê a análise dos produtos que são oferecidos.

Essa não deve ser uma análise superficial! É essencial para o sucesso que você liste todos os pontos dos produtos, desde os positivos até os negativos. Não pense em um produto perfeito. Entenda que por melhor que ele seja, há falhas e elas devem ser consideradas.

Descreva também o processo de venda, de produção, de divulgação. Pense no como seu produto será conhecido e de que forma ele será produzido. Esse é uma parte longa do plano. Por isso, não tenha medo de ser minucioso!

Plano Operacional

Aqui, você deve descrever como o negócio irá funcionar. Observe dois pontos para produzir essa sessão: qual a demanda e qual a capacidade de produção.

Imagine que o seu plano prevê uma demanda de 1000 peças do produto por semana e uma capacidade de produção de 1100 peças. Há um excedente de capacidade que pode implicar em investimentos desnecessários que não trarão retorno para a empresa. Já se a demanda é de 500 peças e sua capacidade produtiva é de 50 peças, haverá uma fatia de mercado que poderá ser explorada por outros concorrentes.

A ideia é que o plano operacional consiga atender a demanda sem gerar gastos elevados. Além disso, no caso de falta de capacidade de produção, é uma ferramenta poderosa para ser utilizada na ampliação dos negócios no futuro.

Plano financeiro

Essa é a última parte. Ela é quem vai guiar seu negócio pelo caminho do sucesso. Para isso, um plano financeiro eficaz depende de todas as outras áreas e de cuidado com os números. Aqui entram gastos, investimentos, patrimônio, capital de giro, enfim, todo o dinheiro que a empresa tem e que precisa para funcionar.

Antes, você seguiu o caminho do negócio. Descreveu como ele irá funcionar. Aqui, você irá transformar esse caminho em números. É a ferramenta final para medir a viabilidade do seu negócio.

A proposta principal é que o plano financeiro cubra o investimento inicial para a sua empresa. Porém, ele também considera a saúde financeira do seu negócio.

Quais são os impactos do plano de negócio na empresa

Realizar um plano de negócio significa considerar diferentes aspectos do negócio. Mas quais são os impactos reais dessa ferramenta na sua empresa? Veja abaixo os principais pontos:

  • Conhecimento do negócio: quando você produz um plano completo, aprende sobre o negócio e consegue, efetivamente, combater os pontos negativos que foram observados;
  • Otimização dos processos: o planejamento prévio permite uma otimização de todos os processos. Você já previu o funcionamento, agora só precisa aplicar;
  • Dificuldade de mudanças: um plano de negócio é um guia. Por isso, muitas empresas comentem o erro de pensarem que não é necessário aprimorar certas situações que foram inicialmente planejadas. Deve-se considerar a necessidade de atualizações. No entanto, ressaltamos que um plano bem construído já prevê essas possibilidades de mudanças.

Quais os principais custos que devem ser incluídos no plano de negócios

Quando falamos do plano financeiro, explicamos qual a sua função. Mas quais os custos que já devem ser previstos? Abaixo, listamos os principais:

  • Investimento inicial: a pergunta a ser respondida aqui é quanto você precisa para o negócio começar a funcionar. Pense em todos os pontos: maquinário, aluguel, mão de obra, licenças, entre outros. Faça uma pesquisa sobre o que você necessita para começar e descubra os números reais;
  • Projeção de despesas e receitas: são duas partes a serem pensadas — custos fixos e receitas. Leve em consideração todos os gastos mensais, como salários, impostos, luz, água, telefone, enfim, tudo que é necessário para a empresa funcionar. Alguns desses custos são variáveis, mas devem ser inseridos em uma projeção. Já na parte das receitas, liste produtos e serviços e quanto você prevê vender. Atenção: não seja otimista ao extremo! Esperar o sucesso é diferente de criar números irreais. Saiba que o início é complicado e que, provavelmente, os números serão baixos;
  • Indicadores de viabilidade: observe se o negócio é viável. Utilize indicadores específicos, como o Valor Presente Líquido e o payback, monte gráficos e observe os resultados. Se seu investimento inicial será muito alto, com baixo retorno e manutenção elevada, é o momento de rever seu plano;

Todo o planejamento é essencial para que sua empresa tenha sucesso. Por isso, analise com cuidado e não tenha pressa! Muitos empreendedores acabam com um plano de negócio irreal por conta do desespero.

Gostou do conteúdo? Assine nossa newsletter e não perca nenhuma novidade!