Menu

Contato


Tudo que Você Precisa Saber Antes de Abrir uma Empresa

Tudo que Você Precisa Saber Antes de Abrir uma Empresa

Quase que todas as decisões importantes na vida requerem uma boa dose de planejamento. Mas se você está pensando em abrir uma empresa, fazer um planejamento antecipado (e muito bem feito) é vital para começar o seu negócio com o pé direito.

Muitos empresários de primeira viagem acreditam que basta ter uma boa ideia e trabalhar duro que o resto vem naturalmente como consequência. O problema é que as coisas nem sempre funcionam dessa forma e, ainda que você faça um bom planejamento, as coisas podem sair bem diferente do que o planejado.

É por este motivo que criamos este material – para lhe ajudar a organizar melhor as suas ideias de forma que você não se perca nessa desafiadora missão de abrir um novo negócio. Vamos lá?

Conheça os 5 principais motivos que levam os empreendedores ao fracasso (e, principalmente, evite-os)!!!

De acordo com a publicação da Exame, os principais motivos que levam os empreendedores ao fracasso são:

  1. Não enxergar o longo prazo
  2. Não ter controle financeiro
  3. Perder o senso de realidade
  4. Confundir CPF e CNPJ
  5. Buscar o produto perfeito

É importante compreender os fatores listados acima para que você não seja mais a entrar para as estatísticas.

Conheça o seu produto e o seu nicho de mercado

Conhecer bem o seu produto é um dos primeiros passos para quem deseja empreender. Depois, procure se diferenciar dentro de um nicho de mercado no qual você será um especialista. Dessa forma, você terá muito menos concorrentes e conseguirá agregar maior valor aos seus clientes.

Por exemplo, se você é programador e quer abrir uma empresa de desenvolvimento de softwares, é tentador prestar serviços de programação para pequenas, médias e grandes empresas e, além disso, para órgãos públicos, empresas estrangeiras e etc. O problema é que, neste caso, você ficaria inserido em um mercado cheio de concorrentes (mais estruturados do que você) e você teria pouco apelo comercial.

Procure fugir da vala comum especializando-se em nichos que lhe permitam agregar maior valor aos clientes. Por exemplo, se você criar uma empresa de desenvolvimento de softwares para empresas de pequeno e médio porte no segmento de engenharia, imagino que fique mais fácil para prospectar novos clientes e se diferenciar dos concorrentes.

Na medida em que você vai definindo o seu nicho de mercado, verifique continuamente se a sua oferta de produtos continua sendo relevante para o seu público. Pode ser que com o passar do tempo você verifique a possibilidade de ofertar novos produtos correlatos para aquele mesmo nicho.

Conhecer o seu produto e o seu nicho é primordial para o sucesso do seu empreendimento.

Escolha bem os seus sócios

Caso você decida ter outros sócios, é importante avaliar muito bem os reflexos no longo prazo. É importante que o perfil dos sócios contribua para unir forças e reduzir fraquezas, de forma a minimizar os riscos do empreendimento e maximizar as chances de sucesso. Avalie os seguintes aspectos:

  • Os sócios possuem perfis complementares?
  • Os sócios conhecem os pontos fortes e fracos uns dos outros?
  • Os objetivos profissionais de longo prazo dos sócios estão alinhados?
  • Os objetivos pessoais de longo prazo dos sócios estão alinhados?
  • Todos estão igualmente engajados no sucesso da empresa?
  • Quais sócios serão investidores?

Defina previamente o papel de cada sócio tomando por base as suas competências e dificuldades, definindo metas claras a serem atingidas, tanto individuais quanto coletivas.

Neste momento também deve ser discutido o percentual que cada sócio terá na sociedade, a forma de divisão dos lucros e, principalmente, os critérios de acerto de contas no caso de saída de sócio (Acordo de Cotistas). Neste momento, é importante deixar de lado questões emocionais e procurar ser o mais racional possível. Na nossa experiência, quando esse tipo de assunto é discutido quando um sócio está prestes a sair (ou já saiu) da sociedade, não é um tipo de conversa muito agradável.

Além disso, é importante definir a estrutura societária da empresa, que normalmente é uma Sociedade Limitada ou, dependendo da situação, uma Sociedade Anônima. Cada estrutura societária tem os seus prós e contras e, por este motivo, é importante obter um assessoramento adequado na escolha da estrutura jurídica.

Caso você decida por não ter sócios, recomendamos o formato jurídico de Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI).

Tenha as finanças da empresa nas mãos

Os primeiros anos de vida de uma empresa não são nada fáceis. De acordo com a última pesquisa realizada pelo SEBRAE, praticamente 1/4 das empresas não sobrevive aos primeiros 2 anos de atividade, sendo que as principais dificuldades relatadas pelos empresários foram:

  1. Dificuldade de captação e retenção de clientes
  2. Falta de capital
  3. Falta de conhecimento na gestão do negócio
  4. Dificuldade na obtenção de mão-de-obra
  5. Elevada carga tributária

Veja que muitos dos itens estão relacionados às finanças da empresa. A dificuldade de captação de clientes leva à redução do faturamento, o que dificulta na contratação de mão-de-obra qualificada e no pagamento de tributos, gerando assim falta de capital de giro.

Ou seja, a falta de conhecimento na gestão do negócio provavelmente é a causa principal de todos os demais problemas relatados. O empreendedor que considerar todos esses fatores antes de abrir o negócio, terá mais chances de prosperar nesse competitivo ambiente de negócios.

Além disso, é importante contar com parceiros estratégicos que lhe ajudem a acompanhar a rentabilidade do negócio em tempo real bem como realizar um planejamento tributário para não acabar pagando mais imposto do que o necessário.

Outro dia um empresário (dono de petshop) nos procurou relatando que estava com prejuízo e que estava com dificuldade em pagar as contas. Ele não entendia como era possível ter prejuízo já que as margens de lucro eram relativamente altas. Depois de conversarmos alguns minutos com este empresário, entendemos que ele estava confundindo o fluxo de caixa da empresa com a rentabilidade do negócio. O petshop na verdade dava lucro, mas ele aplicava todo o lucro na compra de novos estoques, ficando com pouco caixa para pagar as contas do mês. Quando demonstramos que a empresa estava com lucro e o ajudamos a entender como gerenciar o fluxo de caixa, ele conseguiu estruturar melhor o negócio dele e crescer de forma sustentável.

Saiba diferenciar suas finanças das finanças da empresa

Este é outro erro que muitos empresários cometem e que pode ser muito prejudicial para o negócio. Quando você abre uma empresa, é importante mensurar o lucro dela de forma destacada dos sócios. A partir do momento que o sócio começa a pagar despesas pessoais pela conta da empresa e vice-versa, fica difícil apurar o lucro da empresa, dificultando na tomada de decisões importantes.

Por exemplo, se você utiliza o seu cartão de crédito pessoal para comprar estoque para a empresa, depois terá que usar o dinheiro da empresa pagar a conta do seu cartão. Se isso ocorrer, as finanças da empresa ficarão misturadas com as suas finanças pessoais.

Basta adotar uma regra simples. Despesas e receitas pessoais dos sócios devem ser pagas e recebidas pelas contas pessoais dos sócios. Despesas e receitas da empresa devem pagas e recebidas pelas contas da empresa. Mantendo esse simples controle, o seu parceiro contábil conseguirá lhe dar informações valiosas a respeito da saúde financeira do seu negócio.

Estruture o processo de captação de clientes

A maioria dos empresários inicia as atividades com poucos clientes na expectativa de que, com o passar do tempo, serão capazes de trazer novos clientes e viabilizar o crescimento da empresa. No entanto, muitas vezes a expectativa de capitação de novos clientes não se concretiza na prática.

O ideal é que você teste o seu processo de capitação de novos clientes durante o próprio processo de planejamento. Pense nos seguintes fatores:

  • Quem irá captar os novos clientes?
  • Quanto tempo será dedicado na captação de clientes?
  • Será necessário contratar um parceiro de marketing e vendas?
  • Qual o mínimo de vendas necessárias para manter o negócio de pé?
  • As pessoas dedicadas no processo de vendas conseguirão manter o mínimo de vendas necessárias?

O processo de precificação dos produtos também é de extrema importância. Durante esta etapa, converse com o seu parceiro contábil para incorporar o custo tributário e os demais custos do negócio (diretos e indiretos) no processo de precificação.

Lembre-se: a dificuldade de captação e retenção de clientes é o causa número 1 de mortalidade das empresas nos primeiros anos de vida.

Defina a sua estratégia de marketing

Essa é uma das etapas que acabam ficando em segundo plano em grande parte dos casos. Avalie os seguintes fatores:

  • Você já fez uma análise de mercado do segmento?
  • Você avaliou quais estratégias de marketing dão o maior retorno no seu ninho?
  • Você conhece os diferenciais competitivos dos seus concorrentes?
  • A sua empresa será capaz de se diferenciar no mercado frente à estratégia dos concorrentes?
  • Você já mapeou os seus diferenciais de forma clara e objetiva (vide o nosso exemplo)?
  • Você avaliou utilizar estratégias de marketing digital (mídias sociais, inbound marketing, links patrocinados, etc.)?

Não ofereça as mesmas soluções que o mercado já oferece – vá além, seja diferente, inove, preze sempre pela qualidade e pela melhoria continua da sua empresa!

 

A aí, já está se sentindo preparado para ter sucesso? Temos certeza que se você fizer a sua lição de casa você terá sucesso nos negócios.

Se ficou com alguma dúvida, venha conversar conosco que teremos o maior prazer em fazer parte dessa nova etapa da sua vida!